Primeiro passo para uma privatização?


Edu
Atualmente vemos muito facilmente nos governos uma grande tendência a privatizações, que é o ato de passar para a iniciativa privada setores que são da responsabilidade do estado. O principal argumento utilizado pelos governos fala é que aquele negócio é insustentável por não dar lucro, causar muitas despesas. Mas façamos uma análise superficial sobre esse tema.
Primeiramente é importante ressaltar o sistema ao qual o governo está inserido, que é o sistema capitalista, onde o governo serve os grandes empresários desse sistema, e isso não é muito difícil de ver, quando observamos quem financia as grandes campanhas daqueles que nós muitas vezes denominamos como os salvadores da nossa sociedade, aqueles que tomarão a frente da nação, que decidirão sobre assuntos como a nossa saúde, o nosso transporte, o nosso saneamento, e tudo mais que a nossa própria constituição resguarda como direitos do cidadão. Nessa investigação constatamos grandes financiamentos das grandes empresas, nós vivendo no mundo em que vivemos sabemos que dinheiro não se dá de graça, principalmente vindo de pessoas que apenas visam ganhar mais. O que será que o governo dá em troca para essas pessoas? O governo cria as condições necessárias para que essa empresa se instale de maneira a se beneficiar, o governo propicia menores impostos, fazendo acordos com essas grandes empresas, até porque no mundo capitalista os Estados precisam desse lucro para manterem uma economia forte, competitiva, porque é isso que faz a diferença na concorrência entre os Estados, e assim os governos precisam dessas empresas.
Outra pergunta pode surgir, mas por que eles não olham para a parte mais pobre, e olham para aqueles que tem dinheiro? Olhemos quem está no governo, olhemos quem se relaciona com esses governos. Os políticos não têm em seus objetivos principais o de garantir o bem comum, pois se assim fosse, o aumento do nosso salário seria proporcional ao aumento dos salários deles, se o governo quisesse, ele teria muito bem como garantir a nós uma vida melhor, já teria melhorado o ensino público, a saúde pública, coisa que ele não faz, e nem tem esses temas como seu objetivo principal, apesar de que esse deveria ser o seu principal objetivo, ele existe para garantir uma vida melhor a nós, garantir uma vida descente a todos os seus cidadãos primeiramente, depois sim garantir uma boa economia, o que estranhamente não acontece em muitos países, principalmente no Brasil, que tem uma das maiores economias do mundo, mas tem um povo pobre, carente em saúde pública, educação pública de qualidade, assim sendo, aqueles que estão no poder garantem uma vida melhor para si mesmos, e para aqueles que estão próximos dele. Mas por que só aumentar meu salário? Porque eu não posso criar uma empresa com esse grande salário acumulado e garantir que eu seja mais um dos grandes beneficiados mais uma vez, isso pelas concessões que o governo concede? Pois esse parece ser o grande objetivo de muitos políticos do nosso Brasil.
Assim, a privatização também é mais uma forma de o governo ajudar essas grandes empresas, pois com a privatização, o governo concede às empresas privadas a chance de ter uma empresa que por mais que esteja em relativas más condições, já existe, imaginem o quanto que uma empresa deixa de gastar com isso, não vai ter que gastar com captação de empregados, não vai ter que passar por todo o procedimento de criar um nome, não vai ter que procurar onde se instalar, construir a instalação, assim como não se preocupa com outros gastos , geralmente concede também isenção de alguns impostos, o que torna a privatização mais interessante ainda para o capital privado (empresários). E agora já falando sobre os muitos gastos e poucos benefícios da empresa estatal, como uma empresa pode melhorar seus rendimentos sem um investimento significativo, que é o que o capital privado faz, e nada que não seja recompensado pelos lucros, que foi o caso da Vale do Rio Doce, que foi vendida e em menos de um ano depois da privatização os seus novos donos conseguiram recuperar todo o dinheiro que gastaram na compra. Um governo que tem autos custos com seus próprios injustos salários não tem condições de fazer esses investimentos para manter uma empresa rentável? Um governo que tem uma das dez maiores economias do mundo, uma das maiores cargas tributárias do mundo não tem dinheiro para manter as empresas consideradas como básicas e essenciais?
Agora trazendo além do caso da privatização da vale do rio doce, a privatização de muitas estradas, a privatização da energia elétrica, assim como a de vários outros setores fundamentais, víamos como alguns dos sobreviventes a essas privatizações as universidades, onde se precisa sim produzir conhecimento de forma que ele não esteja amarrado a certas condições como no caso onde as universidades precisam estudar para descobrir algo que seja rentável, o que não for rentável não interessa, o conhecimento produzido em uma pesquisa que não vise me beneficiar não basta, o que é uma visão ridícula de estudo, pois o estudo é olhar para tudo, investigar tudo. Por mais precário que seja o ensino público, ainda se olha para a universidade pública como centro produtor de grandes profissionais, grandes pesquisas, mas não é isso que o governo tem por obrigação que nos oferecer, educação é direito assegurado pela constituição como dever do estado, assim como a saúde e outros, como já foi dito, mas o governo não traz assistência de qualidade porque existe nesses ramos a chance de um empresário do poder privado se instalar e conseguir mais dinheiro, como acontece com as escolas particulares, os planos de saúde, ou seja, pagamos duas vezes pela mesma coisa, primeiro nos impostos, e depois em algum serviço que já deveria ser assegurado por esses impostos. Mas recentemente o nosso governo lançou algumas medidas que atacam esse caráter público, com a medida provisória que cria uma empresa de caráter privado para auxiliar na administração dos hospitais universitários, que têm como principal característica o de proporcionar um atendimento público a pessoas que não tem como custear um plano de saúde e também colocar já em contato com as situações diárias aqueles que estão estudando, proporcionando a prática tão defendida por estudiosos, mas vejam o que se coloca, o dinheiro que vai ser injetado no hospital é de caráter público, visto que quem custeia o hospital é a universidade, mas a administração seria ao menos em parte privada.
Pergunto-me se esse não é um primeiro passo do governo para viabilizar e acostumar em nossas mentes a inexistência da área pública na saúde, assim como me pergunto se isso não é uma forma de abrir um pouco mais a universidade pública ao capital privado? Como já foi feito em outros setores com a privatização mesmo. Se o governo quer melhorar as condições de um hospital universitário, por que ele não aumenta a injeção de dinheiro para as universidades públicas sem forçá-las a entrar em um programa, como foi feito no caso do ENEM? O governo fala tanto e se vangloria tanto por terem conseguido um grande crescimento econômico, mas na hora que é pra usar esse dinheiro em um assunto importante, como na educação pública, garantir ao menos uma universidade pública com boas condições de ensino ele não tem dinheiro. Alguma coisa de muito estranho tem aí, muitos interesses de ricas pessoas se encontram por traz disso. Mas não deixemos isso como está, façamos alguma coisa para salvar a nossa educação universitária ao menos, façamos valer a autonomia universitária que é garantida, assim como devemos colocar a culpa de uma má estrutura de hospitais universitários ou não, assim como de outras coisas no nosso governo, que tem dinheiro sim para fazer esses investimentos, mas enxerga essas áreas da educação e da saúde como importantes para os seus investimentos.
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também