Desejo de menino-água

Daniel Alves Jati (Primata)

Observo o lento correr
das águas calmas do rio Tapajós...
Ondas de baixas amplitudes quebram-se,
em algum lugar do espaço-tempo,
emitindo um leve ruído penetrante,
dando sentido a minha vida...
Agradavelmente vejo-me conduzido
a um profundo desejo de ter meu frágil
corpo carregado para um mundo
desconhecido por mim,
não saberia localizar-me geograficamente,
apenas flutuaria, flutuaria
como uma folha seca.
O migrar das aves, a pescaria das gaivotas,
Minhas novelas no fim das tardes úmidas.
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também