Quem partidariza a Ufopa? - Lingua Ferina

Direto do Língua Ferina: Quem partidariza a Ufopa?


Partido - sm 1 Associação, devidamente registrada, de pessoas que têm as mesmas ideias e seguem o mesmo sistema ou doutrina política. 2 União de muitas pessoas contra outras que têm interesses opostos. (Michaelis, 2001. Moderno Dicionário da Língua Portuguesa).

Agora quem partidariza a Ufopa?

Todas as organizações, partidárias ou não, que atuam politicamente na Ufopa.

Algumas se assumem publicamente. Oportuna e desonestamente, algumas se escondem.

Mas independentemente disto, seria importante vê como cada organização atua e o que cada uma propõe para e com a Universidade. Esta é a questão central.

Então que partidos estão comandando a Ufopa desde a sua criação? Quem defende o Reuni, o CFI (basicão no hotel), Índice de Rendimento Acadêmico, cursos transgênicos e sem Projeto Político Pedagógico entre outras tantas barbaridades?

Agora, duas notícias para ajudar nas reflexões:

Os integrantes do PSDB santareno

O advogado Tito Viana é o novo vice-presidente do PSDB santareno. À frente do partido continua o deputado estadual reeleito Alexandre Von.

Abaixo todos os integrantes do novo diretório municipal do PSDB, cuja convenção foi realizada no sábado (dia 30) no plenário da Câmara dos Vereadores.
Presidente: Alexandre Von
Vice-presidente: Tito Viana
Secretário: Alcimar Gama
Tesoureira: Raquel Santana
Vogal: Aldo Queiroz
Vogal: Marco Aurélio
Suplente: Otávio Macedo
Suplente: Francisco de Sousa
Suplente: Osvaldo de Andrade
Suplente: Almerindo Ribeiro

Fonte: Por Jeso Carneiro em 3/5/2011

Seminário Amazônia: lideranças da região constroem propostas

Dirigentes nacionais do PT, dirigentes e lideranças estaduais do partido na Amazônia, dirigentes e lideranças da CUT, deputados estaduais e federais, prefeitos, senador e governadores do PT, e lideranças petistas dos movimentos sociais da região amazônica participaram do seminário "Amazônia: caminhos para o desenvolvimento econômico, social e sustentável com a inclusão de seu povo", realizado em Belém de 15 a 17 de abril, numa promoção conjunta da Fundação Perseu Abramo, do Partido dos Trabalhadores, da CUT e do do CNS.

Especialistas, representantes do movimento sindical e do poder público se revezaram nas mesas de debates que trataram de questões como ordenamento territorial e gestão ambiental; produção sustentável com inovação e competitividade; implantação de infraestrutura para o desenvolvimento sustentável; e inclusão social e cidadania. Entre os gestores convidados, participaram os ministros Luiz Dulci, da Secretaria Geral da Presidência da República e Alexandre Padilha, das Relações Institucionais; a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa; o secretário executivo do Ministério do Meio Ambiente, José Machado; o superintendente da Sudam, Djalma Mello; o assessor da presidência da Agência Nacional de Águas (ANA), Hamilton Pereira, entre outros.

Os debates foram condensados na Carta da Amazônia (leia a íntegra clicando aqui) e também em um documento que vai sintetizar todas as propostas apresentadas durante o seminário.

Para Raimunda Monteiro, vice-reitora da Universidade Federal do Oeste do Pará e integrante do Conselho Curador da FPA, "o fato de o debate ter ocorrido durante três dias concentrados em Belém, tendo a participação de dirigentes, pensadores dos países vizinhos, dos países do Norte do continente e dirigentes petistas da Amazônia, permitiu uma formulação de alto nível na avaliação do que é a Amazônia hoje e das perspectivas de desenvolvimento dessa região e de inserção no contexto nacional e do mundo". O que diferenciou esse seminário de outros já realizados, segundo Raimunda, foi a participação de mais dirigentes seja do estado, do município e dos movimentos sociais investidos em cargos públicos representando esse projeto político nos espaços institucionais.

Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também