Bispo justifica pedofilia: 'tem criança que provoca'

Tradução do Diario da Liberdade

"Se ficares distraído, provocam-te". Refere-se assim a meninos de 13 anos. O bispo Bernardo Álvarez encerra nesta justificativa a origem de um crime: os abusos sexuais contra menores.

Em uma entrevista concedida ao diário La Opinión de Tenerife, o bispo desenvolve a ideia até contestar à jornalista que, previamente, lhe tinha assinalado que "a diferença entre uma relação homossexual e um abuso está clara". Por se persistirem as dúvidas, a entrevistadora recorda ao bispo que "um abuso é uma relação não consentida". A resposta do prelado não deixa lugar para as dúvidas:

"Pode ter menores que sim o consintam e, de fato, há. Há adolescentes de 13 anos que são menores e estão perfeitamente de acordo e, além disso, desejando-o. Inclusive, se ficares distraído, provocam-te". Na mesma conversa, o prelado apresenta, sem nuances, todos os preconceitos da Igreja católica contra os homossexuais. "É algo que prejudica as pessoas e a sociedade", critica o bispo.

"Não é politicamente correto dizer que é uma doença, uma carência, uma deformação da natureza própria do ser humano", descarrega Bernardo Álvarez, após se proteger em uma frase feita: "As pessoas são sempre dignas do maior respeito".

Ainda assim, o titular da diocese de Tenerife chega a assegurar que, em ocasiões, a homossexualidade se pratica "como vício". "Eu não digo que se reprima, mas entre não o reprimir e o promover há uma margem", acrescenta. O porta-voz do prelado assinalou ontem ao jornal espanhol Público que "em nenhum caso pretendeu justificar nem compreender um fenômeno rejeitável"
 
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também