Todo apoio à greve dos trabalhadores da educação!


O Governo Jatene nem bem assumiu e já mostrou para que veio. Após uma longa negociação dos trabalhadores da educação para a implementação do piso salarial nacional dos professores (R$1.187,00), o Governo, em uma atitude irresponsável para com aqueles que constroem a escola pública no seu dia a dia, destinou apenas 30% do valor do piso, isto depois de sair a decisão judicial que determinou que os governos estaduais devem cumprir imediatamente a implantação do piso da categoria docente.

Como a educação não é prioridade deste governo, o argumento era de que o mesmo não tinha recursos para o pagamento dos salários dos professores de acordo com a Lei Nacional do Piso. Porém, sabemos que milhões são desviados dos cofres públicos pelos políticos corruptos da Alepa e outros tantos milhões são dados às grandes mineradoras, construtoras e exportadoras de grãos deste Estado na forma de incentivos fiscais.

Pela indisposição do governo em não pagar o valor integral do piso, é que os trabalhadores da educação do Estado decidiram massivamente em assembleia pela greve e realizaram várias passeatas para mostrar para a sociedade que as escolas públicas estão paradas pelo descaso do Governo Jatene para com a educação. Já são 42 dias de greve por culpa da intransigência deste governo.

Nesta luta, o governo utilizou de todos os meios para isolar os professores e combater a greve: declarações na imprensa, apoio dos grandes meios de comunicação, assédio moral dos gestores, e mais recentemente, ameaça de abertura de processo administrativo e demissões em massa. Soma-se também o juiz da 1ª vara da capital, Elder Lisboa, que se posicionou ao lado de Jatene, tentando acabar com o movimento grevista responsabilizando criminalmente os professores e os dirigentes do sindicato. Este fato demonstra que a justiça não é uma instituição neutra e nem está ao lado dos trabalhadores, pois se estivesse, deveria mandar o Governo cumprir o que já é lei, ao invés de perseguir os ativistas do movimento sindical, que somente estão reivindicando que a lei do piso seja cumprida. Mesmo assim, a categoria segue com forte disposição de luta.

Os professores são verdadeiros heróis, pois realizam uma atividade essencial para os seres humanos – o ato de educar – e são uma das categorias mais desvalorizadas por governos municipais, estaduais e federais. Sujeitos a salários baixíssimos, péssimas condições de trabalho, falta de infraestrutura e de material didático, o que tem acentuado um quadro cada vez mais grave de stress e doenças no seio desta categoria.

Por tudo isso, nós do PSTU damos todo apoio à luta dos trabalhadores e trabalhadoras da educação pública do Estado do Pará. A greve é uma reivindicação legítima desta categoria que tem sofrido nas mãos dos sucessivos governos, sejam do PT, do PMDB ou do PSDB. Do mesmo modo, repudiamos a decisão do juiz Elder Lisboa que só prejudica a situação da qualidade das escolas públicas ao tentar criminalizar os professores que fazem parte do movimento grevista. Tal atitude remonta a época da ditadura militar no país e deve ser combatida por todos os setores da sociedade comprometidos com a democracia e a liberdade sindical. Chamamos o conjunto dos trabalhadores e estudantes para apoiar a greve dos professores do Estado. A luta dos trabalhadores da educação é pela melhoria e qualidade da escola pública, por mais verbas para a educação, pelo pagamento imediato do valor integral do piso salarial, pela revisão do PCCR, por mais segurança nas escolas, por 10 % do PIB para a educação pública já!!
 
Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado – PSTU

Fone: (91) 3226-6825

Acesse: www.pstu.org.br

Siga-nos no twitter: @pstu
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também