Oscar faz história sem deixar de ser previsível


A 84ª cerimônia de entrega do Oscar foi tão previsível quanto se esperava. Com exceção das categorias técnicas, a Academia de Artes e Ciências de Hollywood fez a alegria dos apostadores que preferiram não arriscar em seus bolões. No entanto, 2012 foi um ano histórico.

Depois de 30 anos e somando 17 indicações, Meryl Streep ganhou seu 3º Oscar, por sua performance como a ex-Primeira Ministra inglesa Margareth Thatcher, em “A Dama da Ferro”. Ovacionada pela plateia, Streep se emocionou em seu discurso e agradeceu a seu maquiador e colaborador de longa data, J. Roy Helland, que também faturou o Oscar de Melhor Maquiagem.


Meryl Streep e Jean Dujardin

“O Artista” confirmou seu favoritismo nas categorias principais. A dramédia francesa muda levou os Oscars de Melhor Figurino, Melhor Trilha Sonora, Melhor Ator, Melhor Diretor e Melhor Filme, o primeiro estrangeiro a levar o prêmio máximo da noite.

Já nas categorias técnicas, “A Invenção de Hugo Cabret” reinou praticamente absoluto, com os Oscars de Melhores Efeitos Visuais, Mixagem e Edição de Som, Direção de Arte e Fotografia, o que contrariou o favoritismo de “A Árvore da Vida”, que acabou a noite sem ter vencido em nenhuma das três categorias em que foi indicado.



Produtor, diretor e elenco de O Artista

Woody Allen e Alexander Payne receberam os prêmios de Melhor Roteiro Original e Melhor Roteiro Adaptado, respectivamente, por “Meia-Noite em Paris” e “Os Descendentes”. Allen ganhou seu quarto Oscar desde 1987, quando venceu na mesma categoria pela roteiro de “Hannah e Suas Irmãs”.

Os vencedores dos troféus de Melhor Ator e Atriz Coadjuvantes também eram eram esperados. Octavia Spencer (“Vidas Cruzadas”) e Christopher Plummer (“Toda Forma de Amor”) já tinham ganhado todos os prêmios disponíveis em suas categorias ao longo da temporada. Aos 82 anos de idade, Plummer se tornou o ator mais velho a ganhar um Oscar.



Christopher Plummer

Uma das poucas surpresas foi “Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres”, que ganhou o prêmio de Melhor Montagem, o segundo consecutivo para a parceria entre os montadores Angus Wall e Kirk Baxter com o cineasta David Fincher, que venceram no ano passado por “A Rede Social”.

O filme iraniano “A Separação”, de Asghar Farhadi, também confirmou seu favoritismo disparado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. A aparente globalização da premiação, porém, não foi muito animadora para o Brasil, que estava indicado na categoria de Melhor Canção Original por “Real in Rio”, escrita por Carlinhos Brown e Sergio Mendes, da animação “Rio”, mas perdeu para “Man or Muppet”, de “Os Muppets”.



Asghar Farhadi

Duas outras produções que encerraram a noite com as mãos abanando foram “Cavalo de Guerra” e “O Homem que Mudou o Jogo”, ambos com seis indicações, incluindo Melhor Filme.

A cerimônia foi apresentada pela 9ª vez pelo comediante Billy Crystal, que deu início à festa com seu tradicional paródia aos indicados do ano. Suas piadas, tão previsíveis quanto os prêmios, foram no final uma escolha adequada para animar uma noite que, apesar de quebrar paradigmas e corrigir injustiças tardiamente, foi marcada por apostas certas e escolhas óbvias, culminando na vitória de um filme à moda antiga – o segundo filme mudo a vencer o Oscar, ou melhor dizendo, o primeiro filme mudo a vencer um Oscar desde 1929.



Octavia Spencer

.
Confira a lista completa dos vencedores

Melhor Filme
“O Artista’

Melhor Direção
“O Artista” – Michel Hazanavicius

Melhor Ator
Jean Dujardin – “O Artista”

Melhor Atriz
Meryl Streep – “A Dama de Ferro”

Melhor Ator Coadjuvante
Christopher Plummer – “Toda Forma de Amor”

Melhor Atriz Coadjuvante
Octavia Spencer – “Histórias Cruzadas”

Melhor Filme Estrangeiro
“A Separação”

Melhor Filme de Animação
“Rango”

Melhor Roteiro Original
“Meia-Noite em Paris” – Woody Allen

Melhor Roteiro Adaptado
“Os Descendentes” – Alexander Payne, Nat Faxon, e Jim Rash

Melhor Fotografia
“A Invenção de Hugo Cabret”

Melhor Direção de Arte
“A Invenção de Hugo Cabret”

Melhor Montagem
“Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres”

Efeitos Visuais
“A Invenção de Hugo Cabret”

Melhor Edição de Som
“A Invenção de Hugo Cabret”

Melhor Mixagem de Som
“A Invenção de Hugo Cabret”

Melhor Figurino
“O Artista”

Melhor Maquiagem
“A Dama de Ferro”

Melhor Trilha Sonora
“O Artista” – Ludovic Bource

Melhor Canção
“Man or Muppet” – “Os Muppets”

Melhor Documentário
“Undefetead”

Melhor Documentário de Curta-metragem
“Saving Face”

Melhor Curta-metragem
“The Shore”

Melhor Curta Animado
“The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore”
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também