MOTIVOS DA APROVAÇÃO DA GREVE A PARTIR DE 17 DE MAIO DE 2012

SINDUFOPA
Seção Sindical dos Docentes da Universidade Federal do Oeste do Pará

Santarém, 11 de maio de 2012.
Prezados (as),

Os docentes da Universidade Federal do Oeste do Pará informam a toda comunidade acadêmica que, reunidos em assembléia geral, aprovaram o indicativo de greve da categoria a partir de 17 de maio de 2012 e convidam a todos (as) os (as) professores (as), estudantes e técnicos (as) para a ASSEMBLEIA GERAL que será realizada no dia 15 de maio, às 17h, no auditório do Campus Rondon. Nessa assembléia será discutida a deflagração da greve na UFOPA. Abaixo listamos os motivos da aprovação do indicativo e nossas reivindicações:

Em nível nacional: Pela reestruturação da careira docente, prevista no Acordo 04/2011, descumprindo pelo governo federal, com valorização do piso e incorporação das gratificações;

Pela valorização e melhoria das condições de trabalho docente nas IFES; com referência na Pauta da campanha 2012 aprovada no 31° congresso do ANDES-SN e já protocolada junto ao governo.

Em nível local:Aprovação imediata do ESTATUTO da UFOPA

Eleições diretas para reitor e diretores de unidades (evitando escolhas arbitrárias e não democráticas das direções das unidades acadêmicas e maioria de outros cargos (ex.: última direção do ICS e do ICED);

Sobrecarga de trabalho docente (especialmente professores (as) do CFI no primeiro semestre), o que dificulta e/ou inviabiliza as atividades de pesquisa e extensão, prejudicando a qualidade do ensino);

Assédio moral e perseguição à professores(as) que criticam o modelo acadêmico imposto (ex.: elaboração de laudo médico inverossímil; comunicações e convocações desrespeitosas por parte das chefias aos servidores(as); trato diferenciado aos docentes; tomada de decisões arbitrárias em relação a solicitação de remoções e redistribuição de servidores sem tramitar nos colegiados das unidades; uso intimidatório do estágio probatório, etc.);

Quebra de autonomia docente (ex.: interferências nos sistemas avaliação e padronização do ensino; inutilizacão de disciplina, módulos CFI, IDA, etc.);

Inexistência do espaço de trabalho para os docentes (ex.: administração superior não apresenta projeto arquitetônico de salas individuais para trabalho docente; falta de equipamento de suporte para o desenvolvimento regular das atividades docentes);

Precarização das atividades de ensino no Plano Nacional de Formação de Professores de Educação Básica (PARFOR) e DESRESPEITO aos servidores públicos que atuam no PARFOR (ex.: atraso e não pagamento de diárias; condições insalubres em sala de aula; não fornecimento de material didático gratuito para os alunos);

Ausência de prestação pública das contas da UFOPA à comunidade acadêmica (biênio 2010-2011).

Apuração dos indícios de irregularidades e improbidades administrativas já encaminhados ao Ministério Público Federal – MPF.

Saudações acadêmicas e sindicais,

DIRETORIA DA SINDUFOPA
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também