Estudar Uma Matéria por Vez ou Todas ao Mesmo Tempo?


É melhor estudar uma matéria de cada vez, ou todas as matérias ao mesmo tempo? Esta pergunta é recorrente para quem está começando a estudar para concursos públicos e exames, e mesmo para quem já está estudando, que por vezes se questiona sobre estar ou não no caminho correto.

O tema já foi tratado aqui no Blog (http://www.concursospublicos.pro.br) em outras ocasiões e de forma indireta. Mas diante dos vários questionamentos que tenho recebido, resolvi escrever este texto específico.
Vamos a algumas considerações.

Desde já saliento que considero o mais adequado estudar várias matérias ao mesmo tempo. E para tanto levo em conta alguns fundamentos.

O primeiro argumento é muito simples. Considero que estudar de forma modular, ou seja, estudar uma única matéria de modo a esgotá-la, para em seguida passar para outra, tende a ser mais chato do que variar as matérias ao longo da semana.

Inclusive acredito que isto impacta na concentração, pois o novo, que seria a matéria distinta, em função da variação, pode ter uma influência em termos dopaminérgicos, ou seja, liberação de dopamina. E dopamina consiste num neurotransmissor importante para o mecanismo atencional.

É bem verdade que é possível que, estudando apenas uma única matéria por vez, e avançando no domínio desta, possamos nos empolgar e nos evolver mais. Porém, aí entra a lógica da subjetividade, ou seja, levar em conta que “cada um é cada um”. Esta compreensão, inclusive, nos faz questionar as abordagens achistas-universalizantes dos “especialistas” em preparação para concursos sem especialização.

O segundo argumento envolve a lógica da neuroplasticidade. Segundo este conceito, quanto mais o nosso cérebro é demandado, mais tem capacidade de dar respostas. Assim, considero que estudar matérias diferentes ao mesmo tempo implica em proporcionar estímulos diferentes às nossas estruturas cognitivas.

Além disto, considerando que construir memórias significa criar redes neurais, ao estudar matérias distintas, tendemos a estar transformando os conceitos correspondentes em novas redes neurais distintas.

Um último argumento importante é que ao estudar todas as matérias ao mesmo tempo podemos avançar de forma equilibrada, inclusive de modo a fechar todas as matérias do o programa do edital ao mesmo tempo. Se o candidato usa o Sistema Tuctor e segue o que o software sugere, com toda a certeza matemática ele irá terminar numa mesma semana todas as matérias do programa.

Portanto, considero que o estudo de todas as matérias ao mesmo tempo é melhor que o estudo seqüenciado. Estudar todas as matérias ao mesmo tempo significa adotar um modelo de grade simultâneo-concomitante, sendo que estudar de forma seqüenciada consiste no modelo de grade sucessiva-modular.

É bem verdade que podemos adotar uma solução híbrida. Ou seja, eleger um primeiro bloco de matérias que, após concluídas, terão seus lugares na grade tomados pelas que virão na seqüência. Neste caso é interessante adotar uma lógica de prejudicialidade e de relação conceitual. Por exemplo, antes de estudar Direito Administrativo estudar Direito Constitucional.

Considerando estas informações, avalie o que é mais eficiente para você. E procure tomar o caminho que traga melhores resultados.

E deixe sua experiência e opinião em forma de comentário!
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também