PATRIMÔNIO DOS 15 MAIS RICOS SUPERA EM DEZ VEZES A RENDA DE 14 MILHÕES DO BOLSA FAMÍLIA

Fontes:  Pulsar/Carta Capital/IG

O patrimônio das 15 famílias mais ricas do Brasil é dez vezes maior que a renda de 14 milhões de grupos familiares atendidos pelo programa Bolsa Família. De acordo com a lista divulgada pela revista norte-americana Forbes, os 15 clãs mais abastados do Brasil concentram uma fortuna de 270 bilhões de reais, cerca de 5% do PIB do país. O Bolsa Família, por sua vez, atendeu 14 milhões de famílias em 2013 com um orçamento de 24 bilhões de reais, equivalentes a 0,5% do PIB. De acordo com a publicação, a melhor maneira de atingir o status de bilionário ainda é nascendo em uma família já rica. 

Lidera a lista da publicação a família Marinho, dona das Organizações Globo, que possui uma fortuna de 64 bilhões de reais. Outra empresa de mídia que aparece na lista é o Grupo Abril, do clã Civita, com patrimônio de mais de sete bilhões de reais.

O setor bancário se destaca na origem das fortunas das famílias mais ricas do Brasil, representado pelos clãs Safra, do Banco Safra; Moreira Salles, do Itau/Unibanco; Villela, da holding Itaúsa; Aguiar, do Bradesco; e Setubal, do Itaú.

Em 1987, quando a Forbes produziu a primeira lista, eram três os bilionários do Brasil: Sebastião Camargo, do Grupo Camargo Correa; Antônio Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim; e Roberto Marinho, das Organizações Globo. Hoje, dos 65 bilionários, 25 são parentes. Ou seja, os herdeiros contribuem para a continuidade da alta concentração de renda no país.

Veja abaixo a lista da Forbes com as 15 famílias mais ricas do País:
1)      Marinho, Organizações Globo, US$ 28,9 bilhões
2)      Safra, Banco Safra, US$ 20,1 bilhões
3)      Ermírio de Moraes, Grupo Votorantim, US$ 15,4 bilhões
4)      Moreira Salles, Itaú/Unibanco, US$ 12,4 bilhões
5)      Camargo, Grupo Camargo Corrêa, US$ 8 bilhões
6)      Villela, holding Itaúsa, US$ 5 bilhões
7)      Maggi, Soja, US$ 4,9 bilhões
8)      Aguiar, Bradesco, US$ 4,5 bilhões
9)      Batista, JBS, US$ 4,3 bilhões
10)  Odebrecht, Organização Odebrecht US$ 3,9 bilhões
11)  Civita, Grupo Abril, US$ 3,3 bilhões
12)  Setubal, Itaú, US$ 3,3 bilhões
13)  Igel, Grupo Ultra, US$ 3,2 bilhões
14)  Marcondes Penido, CCR, US$ 2,8 bilhões
15)  Feffer, Grupo Suzano, US$ 2,3 bilhões
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também