A crítica decolonial das epistemologias do Sul e o contexto de constituição das coleções didáticas do PNLD-Campo/2013

Filipe Gervásio Pinto Silva, Janssen Felipe Silva

Resumo

Este trabalho intenciona compreender a constituição contextual e epistêmica das coleções didáticas do PNLD-CAMPO/2013 através das Epistemologias do Sul. Para tanto, tecemos um diálogo entre o Pensamento Decolonial Latino-Americano (MIGNOLO, 2005; 2007; QUIJANO 2005, 2007; WALSH, 2008, 2009) e a Sociologia das ASusências e a Sociologia das Emergências (SANTOS, 2010a; SANTOS, 2010b). Utilizamos a metodologia do ensaio bibliográfico para relacionar o diálogo entre as Epistemologias do Sul e o contexto de produção das coleções didáticas do PNLD-CAMPO/2013. Ressaltamos que o Colonialismo se estabeleceu por meio de monoculturas que alicerçam a lógica da Colonialidade. Estas monoculturas coloniais são confrontadas pelas atitudes decoloniais dos povos campesinos que reivindicam projetos outros de sociedade produzindo ecologias decoloniais. Este conflito atravessa os livros didáticos utilizados nos territórios rurais, uma vez que estes representam textos curriculares que se expressam no contexto da Diferença Colonial. Frisamos a importância histórica da ocupação dos livros didáticos pelos povos campesinos. Todavia, compreendemos que a oficialização das diferenças culturais não é suficiente para a construção de um Ainda-Não Intercultural Crítico.

Texto completo: PDF

Referências

CHOPPIN, A. História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n.3, p. 549-566, set./dez. 2004.

DEIRÓ, M. L. C. As Belas Mentiras: a Ideologia subjacente aos Textos Didáticos. 13. ed. São Paulo: Centauro, 2005.

DUSSEL, E. 1492 El encubrimiento del otro: hacia el origen del “mito de la modernidad”. La Paz: Plural, 1994.

FERNANDES, B. M.; MOLINA, M. C. O Campo da Educação do Campo. In: MOLINA, M. C.; JESUS, S. M. S. A. (Org.). Por uma Educação do Campo: contribuições para a construção de um projeto de Educação do Campo. v. 5. Brasília: Ministério Do Desenvolvimento Agrário, 2004.

GONZALES, T. Kawsay (Buen Vivir) y afirmación cultural: Pratec-Naca, um paradigma alternativo en los Andes. In: P, B Marañón (Org). Buen vivir y descolonialidad: crítica al desarrollo y la racionalidad instrumentales. Cidade do México: Instituto de Investigaciones Económicas, 2014. p. 121-139.

GROSFOGUEL, R. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. In: SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. (Org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010. p. 455-491.

MALDONADO-TORRES, N. A topologia do ser e a geopolítica do conhecimento. Modernidade, império e colonialidade. In: SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. (Org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010. p. 396-443.

MIGNOLO, W. D. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Cadernos de Letras da UFF – Dossiê: Literatura, língua e identidade, Rio de Janeiro n 34, p. 287-324, 2008.

MIGNOLO, W. D. Historias locales/diseños globales: colonialidad, conocimientos subalternos y pensamientos fronterizo. Madrid: Akal, 2011.

MIGNOLO, W. D. La Idea de América Latina: la herida colonial y la opción decolonial. Barcelona: Gedisa, 2007.

MIGNOLO. W. Cambiando las éticas y las políticas del conocimiento: la lógica de la colonialidade y la postcolonialidad imperial. Herencias coloniales y teorias postcoloniales. Revista chilena de literatura, Coimbra, 2005.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder. In: LANDER, E. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

SANTOS, B. S. Um Discurso sobre as Ciências. Porto: Afrontamentos, 1987.

SANTOS, B. S. A gramática do tempo para uma nova cultura política. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2010a.

SANTOS, B. S. Descolonizar el saber, reinventar el poder. Montevidéu: Trilce, 2010b.

SANTOS, B. S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, B. S; MENESES, M. P. (Org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010c. p. 31-83.

WALSH, C. Interculturalidad, Plurinacionalidad y Decolonialidad: Las Insurgencias Político-Epistémicas de Refundar el Estado. Tabula Rasa. Bogotá, Colombia, n. 9, p. 131-152, jul-dic 2008.

WALSH, C. Interculturalidad crítica y pedagogía de-colonial: apuestas (des) de el in-surgir, re-existir y re-vivir. Revista educação intercultural hoje en América Latina, La Paz, Bolívia, 2009.
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também