Teoria do capital, transição socialista e educação na obra de István Mészáros

Autor: Cherobini, Demetrio


Resumo: Trata-se de uma pesquisa teórica a respeito do conceito de capital na obra de István Mészáros e de sua relação com as concepções políticas e educacionais elaboradas pelo filósofo húngaro. O capital é entendido como sistema específico de mediações de segunda ordem estabelecido sobre as mediações primárias do trabalho. Enquanto tal, o capital, de sua forma embrionária, como capital comercial e usurário, passa a um estágio superior quando da efetivação do capitalismo industrial, desdobra-se a partir de crises cíclicas e periódicas de superprodução de capital, altera, em razão das condições históricas, a sua forma de reprodução sociometabólica (em especial, surgem as suas formas mutantes, tais como as efetivadas nas sociedades pós-revolucionárias do século XX), até atingir uma fase de crise estrutural, a partir da década de 1970, caracterizada por aquilo que Mészáros chama de produção destrutiva. É esse novo estágio histórico que fundamenta a atualidade histórica da ofensiva socialista, proposta calcada na efetivação das mediações extrainstitucionais de luta revolucionária dos trabalhadores, a serem desenvolvidas na forma de um poder paralelo e autônomo, capaz de se fortalecer e vencer as mediações constituintes do ser do capital e efetivar a emancipação humana. A educação contribui para esse movimento na medida em que fomenta a consciência comunista em escala de massa, que significa a consciência da necessidade de superação do ser contraditório do capital e de afirmação da sociedade dos produtores livremente associados.


Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também

Postagens mais visitadas