Ufopa e GCI promovem sessão de lançamento do documentário “Ex-Pajé” em Santarém



Pajé é alguém reconhecido por ter poderes sobrenaturais para curar, por meio dos encantados, benzeções e remédios feitos com produtos da floresta. Nas primeiras manifestações desse dom, na infância ou, mais tarde, na fase adulta, há a decisão de desenvolvê-lo ou não. Normalmente, a opção por inibi-lo é oriunda do receio do preconceito e vergonha da condenação que recai sobre os pajés.

Esse preconceito é retratado no documentário “Ex-Pajé (Ex-Shaman)” (2018), do diretor Luiz Bolognesi, que será lançado em Santarém no dia 30 de maio de 2018 em duas sessões gratuitas, às 15h e às 18h30min, no Auditório Wilson Fonseca da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).

No filme, um poderoso pajé passa a questionar sua fé depois do primeiro contato com brancos que julgam sua religião como demoníaca. No entanto, a missão evangelizadora comandada por um pastor intolerante é posta em cheque quando a morte passa a rondar a aldeia e a sensibilidade do indígena em relação aos espíritos da floresta mostra-se indispensável.

O lançamento é uma ação conjunta do Grupo de Consciência Indígena (CGI) e, na Ufopa, do Grupo de Teatro Iurupari, do Programa de Antropologia e Arqueologia (PAA) e da Coordenação de Cerimonial, com apoio da Pró-Reitoria da Cultura, Comunidade e Extensão (Procce).

O evento também homenageia os 20 anos de falecimento do Pajé Laurelino da Cruz, da aldeia Takaura, etnia Munduruku, que foi fundamental para a resistência e reorganização dos povos do baixo rio Tapajós.

Após a exibição, será realizada uma roda de conversa com as lideranças indígenas Edicley Munduruku (neto de Laurelino), Paulo Borari, Roque Waiwai, Fábiana Almeida Borari e os professores Florêncio Vaz, Miguel Aparício e Helena Schiel.

“Em 1 hora e 21 minutos, o documentário consegue fazer uma espécie de história dos pajés frente ao cristianismo e à colonização. E faz isso muito bem, sem cansar o espectador, com uma bela fotografia e enredo que prende a atenção”, comenta o professor Florêncio Vaz.

A inscrição para a atividade poderá será feita 30 minutos antes das sessões. Haverá certificação de 4 horas aos participantes.

Mais informações:



Telefones: (93) 99130-6555 / 99202-2847


Procce/Ufopa, com informações do projeto Iurupari

23/5/2018
Comentários
0 Comentários

Imprimir ou salvar em pdf

Leia Também

Postagens mais visitadas